OSESP CONVIDA MAESTRO INGLÊS ALEXANDER SHELLEY E PIANISTA BRASILEIRO CRISTIAN BUDU NOS CONCERTOS DESTA SEMANA

Escrito em 18/03/2024
Erica Costa - Música 360


Fotos: Divulgação


Programa das apresentações, que acontecem de 21 a 23/mar na Sala São Paulo, terá obras de Stravinsky, Prokofiev e da brasileira Silvia Berg; performance de sexta-feira (22) inaugura série 'Osesp duas e trinta', em novo horário vespertino.


 O ano de 2024 marca as celebrações dos 70 anos da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp, além dos 30 anos de atividades do Coro da Osesp e dos 25 anos da Sala São Paulo – a casa da Osesp, dos Coros e de seus Programas Educacionais, inaugurada em 1999 no edifício onde antes funcionava a Estrada de Ferro Sorocabana.

Nesta semana, entre quinta-feira (21) e sábado (23), a Osesp se apresenta com o virtuoso pianista brasileiro Cristian Budu, sob a batuta do regente britânico Alexander Shelley. O repertório reúne as obras Malabares, da compositora brasileira Silvia Berg; o impressionante Concerto para piano nº 1, de Sergei Prokofiev; e o celebrado balé O Pássaro de Fogo, de Igor Stravinsky.

A apresentação de sexta (22) marca a estreia da nova série Osesp duas e trinta. Ao longo de nove sextas-feiras do ano, nossa Orquestra fará apresentações às 14h30 e a preço único de R$ 39,60 (valor inteiro) – a transmissão do concerto de sexta-feira pelo canal da Osesp no YouTube continua acontecendo às 20h30.

  • Sobre o programa

Começamos com Malabares, da compositora paulista Silvia Berg (1958-). Depois de viver por mais de 20 anos em Copenhagen, atuando como professora, regente e compositora, Berg retornou ao Brasil como docente do Departamento de Música da USP em Ribeirão Preto. Malabares foi escrita em 2009 por encomenda da Sinfônica de Ribeirão Preto e homenageia a arte circense e um dos seus maiores expoentes: Abelardo Pinto (1887-1973), que deu vida ao lendário Palhaço Piolin, nascido nos arredores dessa cidade do interior paulista.

Em 1914, o jovem estudante Sergei Prokofiev (1891-1953) surpreendeu a banca de um importante concurso de piano do Conservatório de São Petersburgo ao apresentar seu primeiro Concerto para piano. Era esperada a apresentação de uma obra consagrada, mas seu inegável virtuosismo lhe rendeu o primeiro lugar. Os três curtos movimentos da peça formam um arco de andamentos rápido-lento-rápido, estrutura tradicional do gênero. O que chama a atenção é a ousadia de Prokofiev, que se deixa ouvir em inúmeras passagens carregadas da ironia e que se tornaria marca de suas composições posteriores.

Baseado em lendas do folclore russo, o balé O Pássaro de Fogo, de Igor Stravinsky (1882-1971), narra a história do príncipe Ivan Tsarévitch, que captura o Pássaro de Fogo enquanto passa pelo jardim do castelo do Rei Kastchei, um feiticeiro maligno. Em troca de libertação, o Pássaro lhe oferece uma pena para ser usada em momentos de apuro. Ivan se apaixona por uma das princesas mantidas prisioneiras pelo feiticeiro quando esta aparece para brincar no jardim, mas logo elas são ordenadas a retornar ao castelo. O protagonista, decidido a resgatar sua amada, chama o Pássaro de Fogo para ajudá-lo e a ave lhe revela que a alma de Kastchei está contida em um ovo. O príncipe destrói esse ovo, liberta os prisioneiros do castelo e a história se encerra com o casamento de Ivan e da princesa, que se tornam czar e czarina.

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp

A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp é um dos grupos sinfônicos mais expressivos da América Latina. Com 13 turnês internacionais e quatro turnês nacionais realizadas, mais de uma centena de álbuns gravados e uma média de 120 apresentações por temporada, a Osesp vem alterando a paisagem musical do país e pavimentando uma sólida trajetória dentro e fora do Brasil, obtendo o reconhecimento de revistas especializadas como Gramophone e Diapason, e relevantes prêmios, como o Grammy Latino de Melhor Álbum de Música Clássica de 2007. A Orquestra se destacou ao participar de três dos mais importantes festivais de verão europeus, em 2016, ao se tornar a primeira orquestra profissional latino-americana a se apresentar em turnê pela China, em 2019, e ao estrear em 2022, no Carnegie Hall, em Nova York, apresentando um concerto na série oficial de assinatura da casa e o elogiado espetáculo Floresta Villa-Lobos. Desde 2020, Thierry Fischer ocupa os cargos de Diretor Musical e Regente Titular, antes ocupados por Marin Alsop (2012-19), Yan Pascal Tortelier (2010-11), John Neschling (1997-2009), Eleazar de Carvalho (1973-96), Bruno Roccella (1963-67) e Souza Lima (1953). Mais que uma orquestra, a Osesp é também uma iniciativa cultural original e tentacular que abrange diversos corpos artísticos e projetos sociais e de formação, como os Coros Sinfônico, Juvenil e Infantil, a Academia de Música, o Selo Digital, a Editora da Osesp e o Descubra a Orquestra. Fundada oficialmente em 1954, a Orquestra passou por radical reestruturação entre 1997 e 1999 e, desde 2005, é gerida pela Fundação Osesp.

Alexander Shelley

Diretor artístico e musical do National Arts Centre Orchestra (Ottawa, Canadá) e regente principal da Filarmônica Real de Londres, Alexander Shelley foi recentemente nomeado para a Artis – Naples (Flórida, EUA), onde lidera a Filarmônica e os eixos multidisciplinares dessa instituição. Ele também é diretor artístico do projeto Zukunftslabor, da Filarmônica de Câmara Alemã de Bremen, ganhador dos prêmios ECHO e Deutsche Gründerpreis. Entre 2009-17, foi regente titular da Sinfônica de Nuremberg. Vencedor do Concurso de Regentes de Leeds [2005], desde então ele trabalha regularmente com orquestras da Europa, América do Norte, Ásia e Oceania, como as Sinfônicas de Gotemburgo, Milwaukee, Melbourne e Nova Zelândia, a Orquestra do Gewandhaus de Leipzig, a Sinfônica Alemã de Berlim e a da Rádio de Frankfurt, a Orquestra NDR Hannover, a Orquestra da Suíça Romanda, a Orquestra Nacional da Bélgica e as Filarmônicas de Estocolmo e de Hong Kong.

Cristian Budu

O brasileiro filho de romenos é vencedor do Primeiro Prêmio e do Prêmio do Público no Concurso Internacional de Piano Klara Haskil (Suíça). A revista Gramophone o incluiu em sua lista dos “10 melhores registros recentes de Beethoven”, dos “10 melhores registros de Chopin” e, em 2019, seus 24 prelúdios de Chopin figuraram na histórica lista dos “50 melhores registros de Chopin de todos os tempos”. Algumas das orquestras nas quais atuou como solista convidado incluem a Sinfônica de Lucerna, a Orquestra da Suíça Romanda, a Sinfônica da Rádio de Stuttgart, a Filarmônica de Minas Gerais e a própria Osesp, além de salas de concerto como os Theatros Municipais do Rio de Janeiro e de São Paulo, o Ateneu de Bucareste, a Sala Jordan e Festivais como o de Música de Rockport e de Zermatt, La Roque D'Anteron e Verbier.

  • PROGRAMA

O VIRTUOSISMO DE BUDU EM PROKOFIEV

ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO
ALEXANDER SHELLEY REGENTE
CRISTIAN BUDU PIANO
SILVIA BERG Malabares
SERGEI PROKOFIEV Concerto para piano nº 1 em Ré bemol maior, Op. 10
IGOR STRAVINSKY O Pássaro de Fogo – Balé completo

  • SERVIÇO :

21 de março, quinta-feira, às 20h30
22 de março, sexta-feira, às 14h30 (Concerto Digital às 20h30)
23 de março, sábado, às 16h30
Endereço: Sala São Paulo | Praça Júlio Prestes, 16
Taxa de ocupação limite: 1.484 lugares 
Recomendação etária: 7 anos
Ingressos: Entre R$ 39,60 e R$ 271,00 [Osesp] e R$ 39,60 [Osesp duas e trinta]
Bilheteria (INTI): neste link
(11) 3777-9721, de segunda a sexta, das 12h às 18h.
Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.
Estacionamento: R$ 28,00 (noturno e sábado à tarde) e R$ 16,00 (sábado e domingo de manhã) | 600 vagas; 20 para pessoas com deficiência; 33 para idosos.

 Fonte: Assessoria de Imprensa