Empresário preso em Ribeirão Preto estava na lista de 20 pessoas que comandavam esquema criminoso no RJ

Piemonte Escrito em 11/07/2024


Grupo movimentou, pelo menos, R$ 126 milhões em dois anos. Antônio Carlos Guimarães Filho, de 30 anos, foi preso na casa dele, no Jardim Recreio. Empresário de Ribeirão Preto era uma das 20 pessoas que comandavam esquema criminoso no RJ O nome do empresário Antônio Carlos Guimarães Filho, de 30 anos, consta na lista de 20 pessoas que comandavam o esquema criminoso que movimentou, pelo menos, R$ 126 milhões em dois anos. Ele está preso preventivamente desde terça-feira (9), suspeito de fazer parte de uma organização responsável pela lavagem de dinheiro de facções que atuavam no Rio de Janeiro (RJ) e em Manaus (AM). "É a maior organização criminosa ligada ao narcotráfico que atua no Rio de Janeiro. [Atuamos no] combate à estrutura que financia e possibilita a aquisição de larga escala de drogas e armas para o estado", disse o secretário da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Marcus Amim. Siga o canal g1 Ribeirão e Franca no WhatsApp As investigações, que se concentraram entre abril de 2017 e junho de 2021, apontam que Guimarães mantinha duas empresas no ramo de tecnologia da informação e atuava em ambas como 'dono e gestor'. Em uma delas, segundo as investigações, foram realizados três depósitos no valor total de R$ 170.100,00 entre os dias 10 e 17 de julho de 2019. Antônio Carlos Guimarães Filho, de 30 anos, é suspeito de fazer parte de organização criminosa que lavava dinheiro Divulgação Um outro depósito no valor de R$ 50 mil foi realizado no mesmo período para a segunda empresa. LEIA TAMBÉM Saiba como era esquema que movimentou R$ 126 milhões do tráfico no RJ e levou à prisão empresário de Ribeirão Preto Empresário de Ribeirão Preto é preso em operação que investiga lavagem de dinheiro Investigação aponta que empresário preso em operação contra lavagem de dinheiro recebeu R$ 190 mil de traficantes Quem fez as transferências, ainda segundo as investigações, foi Ednelson Pereira dos Santos, que teria ligações com traficantes. As movimentações ainda apontam que Guimarães recebeu mais de R$ 50 mil de Luciana Ribeiro dos Santos. Para Gustavo Rodrigues, da Delegacia de Combate às Organizações Criminosas e à lavagem de Dinheiro do Rio de Janeiro, os envolvidos no esquema atuavam nos bastidores, o que facilitava as transações "Eles, muitas vezes, atuam nos bastidores e não são alvos de operações policiais. Na casa deles, nunca batiam. Agora eles vão passar a ter essas visitas da Polícia Civil por conta das operações financeiras que rastreiam o narcotráfico". Além do empresário de Ribeirão Preto, Luciana e Ednelson também foram presos. A EPTV, afiliada da TV Globo, não conseguiu contato com as defesas deles. Antônio Carlos Guimarães Filho, de 30 anos, foi preso na terça-feira (9), em Ribeirão Preto, SP Divulgação Receber e transferir Na mesma data em que recebeu transferências de Ednelson, Guimarães repassou o dinheiro para outras duas contas. As investigações apontam que à época, o empresário enviou, primeiramente, R$ 50 mil a uma empresa chamada Tatiane Buffet Festas e Eventos. Em seguida, foram transferidos R$ 125 mil para Costa Ramos Veículos. Investigações apontam que Antônio Carlos Guimarães Filho repassou dinheiro para outras duas contas Reprodução/EPTV Os dois estabelecimentos têm sede no Rio de Janeiro. Para a polícia, este 'jogo' seria um modo de lavar dinheiro para terceiros. Advogado de defesa de Guimarães, Vagner Simões afirmou à EPTV que o nome do empresário está sendo usado por outros. "Imaginamos que ele está sendo acusado porque alguém está usando os dados pessoais dele para criar essas contas e movimentar essas contas em nome dele". Veja mais notícias da região no g1 Ribeirão Preto e Franca VÍDEOS: Tudo sobre Ribeirão Preto e região